Hemorroida Tem Cura? Sintomas, Como Tratar e Causas

0

 

Estatísticas mostram que as hemorroidas atingem em média 50% dos adultos, e que são uma condição que provoca bastante incômodo e desconforto, embora não represente risco de vida. Muitas pessoas que sofrem com a condição não precisam de tratamento para aliviar os sintomas, enquanto outras acabam sendo submetidas a procedimentos mais invasivos para tratar o problema.

Com o objetivo de entender melhor, abordaremos aqui quais são os sintomas, como tratar, as principais causas e também se a hemorroida tem cura ou não.

O que são hemorroidas?

De forma geral, todo mundo tem aglomerados de veias que ficam logo abaixo das membranas mucosas que revestem a parte mais baixa do reto e do ânus. No entanto, quando essas veias ficam inchadas e distendidas, assim como as varizes nas pernas, a condição é chamada de hemorroidas.

Estima-se que aproximadamente 50% dos adultos na faixa etária dos 50 anos sofram com o problema, e que seu aparecimento se dá devido ao trabalho que os vasos sanguíneos realizam para combater continuamente a gravidade ao levar o sangue de volta ao coração, ou seja, pode ser uma consequência de sermos seres eretos.

Os tipos mais comuns são: hemorroida interna e hemorroida externa, que podem causar sintomas doloridos e desagradáveis, mas, também é possível que, ocasionalmente, um coágulo se forme, causando uma hemorroida trombosada, que requer um tratamento mais específico.

Felizmente, existem
muitas formas eficazes para tratar as hemorroidas, e algumas particularmente
precisam apenas de mudanças no estilo de vida.

Quais são os sintomas?

Os sintomas comuns das
hemorroidas geralmente incluem:

  • Sangramento sem
    presença de dor durante a evacuação. Como não existe dor, geralmente é possível
    notar pequenas quantidades de sangue vermelho brilhante no papel higiênico ou
    vaso sanitário;
  • Comichão ou irritação
    na região anal;
  • Dor ou desconforto;
  • Vazamento fecal;
  • Evacuação acompanhada
    de dor;
  • Nódulo doloroso ou
    inchaço perto do ânus que pode ser uma hemorroida trombosada.

Normalmente, os sintomas estão relacionados à localização das hemorroidas, conforme você verá a seguir:

1. Hemorroida interna

Costumam se desenvolver dentro do ânus ou reto, e por isso são mais difíceis de serem percebidas porque estão muito profundas para ficarem visíveis. Outra característica é que esse tipo de hemorroida raramente provoca algum desconforto, porém a passagem das fezes pode danificar a sua superfície e causar uma hemorragia.

Por exemplo, as fezes duras podem necessitar de esforço na hora de evacuar e isso pode empurrar a hemorroida interna através da abertura anal. Essa condição é conhecida como prolapso ou hemorroida protuberante.

Os sintomas
mais comuns da hemorroida interna são:

  • Dor ou desconforto;
  • Coceira;
  • Ardência;
  • Nódulos que podem ser detectados ​​ou inchaço perto do seu ânus.

2. Prolapso

Como citamos, o prolapso acontece quando a hemorroida interna incha e empurra para fora do ânus. Elas parecem caroços vermelhos inchados fora do ânus e podem ser vistas com a ajuda de um espelho. Em relação aos sintomas, pode acontecer de não apresentar nenhum, ou sentir dor, desconforto, coceira ou queimação.

Ela pode ser diagnosticada com graus diferentes, de acordo com a sua
gravidade.

  • Grau 1: É uma condição leve, que dificilmente causará incômodos. Às vezes, nem é diagnosticado como prolapso.
  • Grau 2: Aqui já fica claro que é um prolapso, mas que consegue regredir sozinho. No grau 2, o prolapso ocorrerá quando houver pressão sobre a região anal ou retal, como acontece durante a evacuação.
  • Grau 3: Geralmente é preciso empurrar de volta, e essa condição normalmente precisa de tratamento para não se tornar muito dolorida ou para evitar uma infecção.
  • Grau 4: Costuma apresentar dor na hora de empurrar para dentro. Assim como acontece no grau 3, é preciso tratar para evitar dor, desconforto ou outras complicações.

3. Hemorroida externa

Elas ficam localizadas fora do ânus, e são consideradas mais comuns do que os outros tipos e também mais problemáticas. Elas nem sempre são visíveis, mas quando incham podem se tornar visíveis e ter veias saltadas com uma cor azulada e visível sob a superfície anal.

Hemorroidas externas trazem sintomas muito parecidos com os das internas, porém, como estão localizadas do lado de fora é possível que as dores e desconfortos sejam mais intensos, especialmente na hora de evacuar, sentar ou até mesmo durante a atividade física.

4. Hemorróida trombosada

Elas são o resultado do acúmulo de sangue em uma hemorroida externa. Quando isso acontece, é comum que um coágulo se forme, causando dor intensa, inchaço, inflamação e um nódulo duro perto do ânus. Os sintomas podem incluir:

  • Dor intensa e coceira;
  • Inchaço e vermelhidão;
  • Cor azulada ao redor da
    hemorroida.

Normalmente, os sintomas das hemorroidas pequenas desaparecem em poucos dias sem tratamento. No entanto, algumas hemorroidas internas, especialmente as prolapsadas, podem levar mais tempo para cicatrizar e podem exigir tratamento médico.

Quais são as causas?

O que causa
as hemorroidas é geralmente o alargamento das veias ao redor do ânus, e essa
condição pode ocorrer pelos seguintes motivos:

  • Genética: Infelizmente algumas pessoas estão mais predispostas a desenvolver hemorroidas porque têm familiares muito próximos que sofrem com elas, e isso pode aumentar consideravelmente as chances de desenvolvê-las.
  • Envelhecimento: O processo de envelhecimento costumar viabilizar uma série de problemas e pode impulsionar também o surgimento das hemorroidas. Normalmente, elas são mais comuns entre adultos com idade entre 45 e 65 anos, porém os mais jovens e até as crianças não estão isentos.
  • Constipação crônica: O excesso de esforço para evacuar aumenta a pressão sobre as paredes dos vasos sanguíneos, e pode estimular o surgimento das hemorroidas.
  • Diarreia: Não é só o intestino preso que possibilita essa condição, pois as hemorroidas também podem ocorrer após quadros de diarreia crônica.
  • Ficar sentado por muito tempo: Permanecer nessa posição por períodos muito longos de tempo pode viabilizar o aparecimento das hemorroidas, especialmente no banheiro.
  • Levantamento de peso: Levantar repetidamente objetos pesados ​​pode forçar a região e causar hemorroidas.
  • Gravidez: As mulheres grávidas estão mais predispostas a sofrer com as hemorroidas porque, à medida que o útero se expande, ele pressiona a veia no cólon, e isso pode causar uma protuberância.
  • Sexo anal: O atrito causado na região durante o sexo anal pode desenvolver hemorroidas e até agravar as existentes.
  • Obesidade: Geralmente as pessoas obesas têm uma dieta repleta de alguns alimentos que podem tanto condicionar ao surgimento, quando agravar a situação, quando ela já está presente.

Como é feito o diagnostico?

Comumente um exame visual da região pode ser o suficiente para o médico diagnosticar as hemorroidas, porém, para verificar se há alguma anormalidade no ânus e confirmar o diagnóstico, ele pode solicitar outros exames.

Normalmente, a recomendação é a realização de um exame retal digital, que é um procedimento em que o médico insere um dedo (com luva e lubrificante) no reto. Caso ele perceba algo anormal, pode pedir um exame adicional chamado sigmoidoscopia.

A sigmoidoscopia usa uma pequena câmera de fibra óptica – chamada sigmoidoscópio – que fica dentro de um pequeno tubo que é inserido no reto. Através das imagens obtidas é possível ver se existe uma hemorroida interna, além de conseguir examinar com mais precisão para definir um tratamento mais eficaz.

Como tratar?

Algumas medidas simples podem ser adotadas para aliviar os sintomas, sem que seja necessário um tratamento mais invasivo. No entanto, dependendo do caso, uma pomada, medicamentos e até mesmo uma cirurgia podem ser necessários. Veja a seguir as recomendações:

1. Tratamentos domiciliares

  • Cremes e pomadas tópicas: As farmácias e drogarias vendem cremes, pomadas ou supositórios isentos de prescrição médica e que contêm hidrocortisona, uma substância capaz de ajudar a aliviar os desconfortos.
  • Analgésicos: Aspirina, ibuprofeno e paracetamol são exemplos de analgésicos que podem aliviar a dor e o desconforto.
  • Almofadas: Outra opção são as almofadas para hemorroidas que contêm hamamélis. Ele atua como um agente entorpecente que pode ser aplicado à pele.
  • Compressas frias: Utilizar um pacote de gelo ou uma bolsa térmica para realizar uma compressa fria na região pode ajudar a diminuir o inchaço e até as dores. Se for usar gelo, não se esqueça de enrolar em uma toalha, evite colocar diretamente na pele.
  • Banho de assento com água morna: O banho de assento pode ser feito com uma bacia limpa na qual você consiga sentar, ou utilizando um recipiente vendido exatamente para esse fim, que é colocado sobre o vaso sanitário. Normalmente, essa abordagem ajuda a aliviar os sintomas de queimação e coceira.
  • Toalhas úmidas: Se a hemorroida está inflamada, o papel higiênico seco pode agravar o problema. O recomendado é usar toalhas úmidas, que têm uma textura mais suave e não agridem a pele. Uma alternativa é comprar aquelas recomendadas para o bebê.

2. Tratamento não cirúrgico

Existem algumas opções
não cirúrgicas para o tratamento de hemorroidas. Eles são considerados
procedimentos ambulatoriais e menos invasivos do que uma cirurgia.

  • Ligadura elástica: É o procedimento mais comum e geralmente é recomendado para hemorroida interna. Durante o procedimento, é colocado um elástico na base da hemorroida para cortar o suprimento de sangue. O resultado é um encolhimento do inchaço da veia.
  • Escleroterapia: Essa é uma abordagem que envolve a aplicação de uma solução na hemorroida. É indicado também para a interna e o procedimento tem o objetivo de criar uma cicatriz para cortar o suprimento de sangue que segue para a hemorroida.
  • Coagulação: As técnicas de coagulação usam
    laser ou luz infravermelha ou calor e causam pequenas hemorragias internas que
    são capazes de endurecer e murchar a hemorroida. No entanto, sua taxa de
    recorrência é maior do que o tratamento realizado com elástico.

3. Tratamento cirúrgico

Casos mais complicados e que não responderam às outras abordagem são eletivos para cirurgia. Ela geralmente envolve a remoção completa das hemorroidas, e é conhecida como hemorroidectomia. Esse procedimento também pode grampear uma hemorróida prolapsada para que seja possível colocá-la de volta no lugar.

Geralmente, essa abordagem é realizada em um hospital e requer uma anestesia geral. Porém, o processo é simples e a maioria das pessoas costuma receber alta no mesmo dia da cirurgia.

Prevenção

O segredo para diminuir as chances de desenvolver hemorroidas ou para diminuir os desconfortos se elas já existem é cuidar da saúde e alimentação para que o sistema digestivo funcione corretamente, pois quando as fezes são mantidas macias, elas não forçarão ou irritarão as veias. Sendo assim, algumas medidas podem ser tomadas para ajudar esse processo:

  1. Coma alimentos ricos em fibras:Ter uma alimentação com uma variedade de frutas, verduras e grãos integrais vai proporcionar a quantidade de fibras necessárias para que seu intestino funcione bem. As fibras são capazes de ajudar a suavizar as fezes e aumentar o volume, o que ajudará a evitar o esforço que pode causar a hemorroida.
  2. Considere suplementos de fibra:Se a sua alimentação não fornecer a quantidade de fibras necessárias, você pode optar por completar a quantidade diária recomendada – 25 gramas por dia para mulheres e 38 gramas por dia para homens – em sua dieta. Estudos mostram que alguns suplementos de fibra vendidos sem receita médica, como Metamucil e Citrucel, ajudam a melhorar os sintomas gerais e também o sangramento das hemorroidas, justamente porque eles são capazes de ajudar a manter as fezes macias e regulares. Outra alternativa é o psyllium, que tem uma alta quantidade de fibras e pode promover os mesmos efeitos. O único cuidado necessário ao tomar suplementos de fibra é garantir a ingestão de pelo menos oito copos de água ou outros líquidos todos os dias, pois dessa forma você evitará que o aumento de fibras ingeridas cause ou piore a constipação.
  3. Beber grande quantidade de líquidos:A água é fundamental para o trânsito intestinal, então beba de seis a oito copos de água e outros líquidos diariamente.
  4. Não se esforce: Excesso de esforço e prender a respiração na hora que está evacuando cria uma pressão maior nas veias do reto inferior. Evite.
  5. Não reprima sua vontade de evacuar: Se você sentir vontade (e puder) vá ao banheiro. Esperar ou ficar segurando uma evacuação pode fazer o desejo desaparecer, e o resultado será fezes mais secas e consequentemente mais difíceis de passar.
  6. Atividades físicas: A realização de exercícios regulares ajuda a prevenir a constipação e também reduz a pressão nas veias, o que pode ocorrer com longos períodos em pé ou sentado. O exercício também colabora com a redução do peso, fato que também aumenta os riscos de ter hemorroidas.
  7. Evite longos períodos sentado: Permanecer sentado não colabora quando o assunto é hemorroidas, especialmente no banheiro, pois essa posição pode aumentar a pressão sobre as veias do ânus.
  8. Use roupas soltas de algodão: Trocar as roupas apertadas de poliéster por aquelas mais folgadas e feitas com algodão respirável (especialmente roupas íntimas) pode ajudar a manter a área anal limpa e seca. Isso pode reduzir potencialmente os sintomas. Outro cuidado importante é evitar usar produtos perfumados ou amaciantes de tecidos para lavar as peças, pois pode estimular a irritação.

Hemorroida tem cura?

As hemorroidas são incômodas e desconfortáveis sim, mas elas geralmente são fáceis de tratar e costumam desaparecer por conta própria. No entanto, em alguns casos elas podem causar complicações. A perda sanguínea crônica de uma hemorroida pode causar anemia, que é uma falta de glóbulos vermelhos, e as internas também podem ter seu suprimento de sangue cortado, resultando em hemorroidas estranguladas, que podem causar dor extrema.

Se os tratamentos não forem eficazes após mais de duas semanas, é preciso procurar um profissional especializado para diagnosticar e tratar.

Os tratamentos devem ser seguidos conforme a recomendação e na maioria das vezes eles são eficazes, mas se não forem, técnicas cirúrgicas ou não podem ser realizadas para reverter à situação.

A maioria das abordagens ajuda a eliminar completamente os sintomas, no entanto, não podemos dizer que a hemorroida tem cura, pois é fato que ela pode retornar depois de um período, especialmente se os cuidados com a alimentação e estilo de vida não fazem parte da rotina.

Não existem muitos estudos realizados com o objetivo de investigar a taxa de recorrência das hemorroidas. Porém, em 2004 um estudo foi realizado para comparar a taxa de recorrência de hemorroidas em 231 pessoas. O grupo de participantes era diversificado, e foi possível perceber que alguns realizaram tratamentos domiciliares e outros realizaram uma cirurgia para remoção. Os pesquisadores evidenciaram que 6,3% dos participantes que passaram pelo procedimento cirúrgico tiveram novos episódios e 25,4% das pessoas que fizeram tratamentos caseiros também.

Diante desses fatos, podemos afirmar que não é verdade que a hemorroida tem cura. Embora uma recidiva não seja uma regra, se você já teve ou tem, o problema pode retornar se as mudanças na dieta e também nos hábitos de vida não forem adotados.

Referências adicionais:

  • //www.health.harvard.edu/diseases-and-conditions/hemorrhoids_and_what_to_do_about_them
  • //www.mayoclinic.org/diseases-conditions/hemorrhoids/diagnosis-treatment/drc-20360280
  • //www.mayoclinic.org/diseases-conditions/hemorrhoids/symptoms-causes/syc-20360268
  • //www.niddk.nih.gov/health-information/digestive-diseases/hemorrhoids

Você imaginava que a hemorroida tem cura ou sabia que ela pode sempre voltar? Quantas vezes você já sofreu com essa condição?